Você conhece o vídeo do momento? Blockchain do outfit!

Supreme, Bape, Channel, Nike e tantas outras marcas únicas e exclusivas que estão no hype do outfit e tem dividido completamente a opinião na internet

Há umas semanas atrás a internet quase parou com um vídeo que, se não te fez rir, te faz parar para pensar. Se você estava em uma viagem interplanetária e  não faz ideia do que estou escrevendo, dá o play e assista o vídeo abaixo:

Quem ama essas marcas não se importa  em pagar altos valores em suas peças. Só para se ter uma idéia um cinto  da Off White, (uma das marcas apresentadas no vídeo), pode custar cerca de R$ 800,00 e “simples” um par de meias da Gucci (outra marca comentada pelo pessoal dos “Dols”) chega a R$ 500,00.

Em contraponto estão aqueles que acham um absurdo demonstrar ostentação e desembolsar mais de mil reais em uma única camiseta básica com uma estampa silk screen, como no caso da marca Supreme. Independente da sua opinião o fato é que pessoas não só estão pagando muitos reais (e até K’s de dols) em vestimentas, como dormem na fila para conseguir comprar com exclusividade as tais peças hypadas.

Para não te deixar totalmente perdido, te aconselho a escutar um podcast que me fez abrir os olhos e mudar minha opinião sobre o assunto Rebobinando: Quanto custa o outfit?

Problematização e o Hype do Blockchain

Assim como em outros nichos da moda, o movimento Street Wear está a mercê de falsificação, receptação originada por roubos e durabilidade dos itens que acabam gerando valorização. Pensando nisso, acredito que a Blockchain pode garantir à essas marcas, e principalmente, a seus consumidores a maior garantia que eles procuram: saber se aquele produto realmente tem o valor que lhe é devido / cobrado.

Usando como exemplo a Supreme, que tem como seu modelo de negócios coleções criadas em drops (mini eventos realizado em seis lugares do mundo uma vez por semana) com pouquíssimos produtos e em pouquíssimas quantidades, podemos perceber que o que a torna exclusiva é justamente sua escassez. Na mesma ótica, podemos comparar com a mecânica das criptomoedas, onde o valor especulado é baseado em seu uso e escassez, ou até mesmo aproveitando o momento e utilizar o exemplo das “figurinhas da copa” do Cristiano Ronaldo, Messi e Neymar Jr. que são mais caras que as demais quando você tenta comprar de alguém que a possua.

Em um cenário quase real, imagine se alguém mal intencionado começa a criar cópias fiéis desses itens a fim de vender gato por lebre e lucrar com isso. Afinal uma camiseta branca com uma estampa simples talvez seja razoavelmente fácil de se replicar. Como resultado teríamos a imagem da marca manchada e seu consumidor bastante lesado.

Produzindo artefatos realmente únicos

Ao construirmos um sistema único baseado em Blockchain, todo artefato produzido pela marca possuiria impresso um código único (hash) em sua etiqueta, por exemplo, e após sua concepção o mesmo produto seria validado dentro da cadeia de vendas da marca: começando pela venda inicial dentro do drops (lojas oficiais) seguindo para a venda de terceiros (ou Reseller). Tudo isso seria rastreado e registrado em Blockchain, que mostraria em tempo real a vida daquele item, o que consequentemente agregaria mais valor pela sua história dentro do contexto da cena Street Wear.

Tratando dessa forma, imagine que poderíamos ter uma shoulder bag Louis Vuitton custando 10 vezes mais que as outras só porque ela foi usada, e comprovadas por meio da Blockchain, por um ator famoso ou um jogador de basquete.

Também poderia mostrar por quantas pessoas passou aquele Nike Air Jordan I, que aparentemente não parece tão desgastado, mas por se ter comprovado a quantidade de “donos” que o mesmo já teve em sua vida útil, mostrar ao futuro comprador se ele vale ou não quanto está sendo pedido.  

Podemos garantir que o relógio TAG Heuer que estão te oferecendo realmente é de origem confiável, que não foi roubado de uma joalheria ou relojoaria e você está receptando um produto originado por roubo sem saber.

Lembre-se que nunca é só uma roupa ou só um cinto ou só um pé de cabra, é sobre a arte e o movimento contemporâneo, sobre a desconstrução da arte como conhecemos, com você concordando ou não que um tijolo pode custar mais que uma casa inteira.


Autor:

JC Bombardelli

João Bombardelli
CTO | Blockchain Engineer na A Star Labs

Profissional criativo e resoluto, com uma perceptível
capacidade de aprendizado e colaboração


 

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?